terça-feira, janeiro 13, 2009

Barca de Alva

Clic nas fotos para ampliar.



Água, água। Porosas águas de alegria, do pão na mesa. Águas de Li Bai ébrias de ternura, de S. João da Cruz abrasadas de amor, ó águas de Claudel morrendo à sede. Água. Água. Todas as águas, todas. Ó antiquíssima água das estrelas, próximas distantes águas matinais, oculta água dada a beber num só olhar.
Eugénio Andrade

8 comentários:

Sandra Rocha disse...

Que bela viagem pelo Douro, sou uma grande apaixonada por esta região.
Beijos.

Anónimo disse...

Concurso de fotografia "Olhar a Liberdade", mais informações em
http://www.mun-aljustrel.pt/noticias/olhar-a-liberdade_web2.pdf

Os melhores cumprimentos

Anónimo disse...

A terra está rasgada de azul e o verde queima-se nas encostas batidas pelo sol. Dali há-de jorrar o sonho que te embebeda, na paz bordada dos sentidos. As margens estão cheias de ternura, porque a terra dos sonhos está dentro de ti.

Alix disse...

Não conheço o Douro, mas com estas foto deu vontade de seguir já viagem


Magnificas fotos


Alix

Uma Aldeia Esquecida disse...

Uma viagem que será algo de extarordinário ..."por esse rio acima"

Belas as fotos
Agradeço a visita. Foi um prazer

Dolores Marques

Gaby Stuque disse...

QUE LUGAR ESPETACULAR!!

eu me apaixonei!

LADY DARK ANGEL disse...

cARAMBA O LUGAR E LINDO
E FOI VC QM FOTOGRAFOU?

retriever disse...

Wonderfull paysages, greeting from Belgium